fbpx

História da moda

História da moda

A história da moda não é algo que podemos resumir em apenas um parágrafo. A moda que conhecemos atualmente é herança de muita luta de classe e gênero. Assim como o surgimento das primeiras civilizações, a moda tem muita história, afinal, a moda acompanhou (e acompanha) as diversas transformações da sociedade.

Por isso, a história da moda vai muito além de padrões e diferentes peças de roupas que conhecemos hoje em dia. Portanto, podemos usar a moda como objeto de estuda da história da sociedade, além disso, podemos também saber os diversos fatores que nos influenciaram a usar a roupa que estamos usando agora!

Ficou curiosa, não é mesmo? Então, vamos viajar um pouco pelo tempo e descobrir como tudo surgiu…

História da moda e o surgimento das roupas

Segundo antropólogos, o surgimento da roupa está relacionado à necessidade manifestada pelo ser humano de esconder a nudez e de se proteger do frio, da chuva e do calor. Na antiguidade, cada civilização tinha o seu comportamento, sua cultura e sua “moda”. Nada comparado à moda atualmente. Por mais que existiram diversas civilizações e culturas, os panos foram muito utilizados como vestimentas.

História da moda-2

Na antiguidade, os romanos, assim como os egípcios e gregos, atribuíam diferentes significados às roupas. A toga dos magistrados romanos, por exemplo, era utilizada como uma maneira de demonstrar autoridade.

Dessa forma, um fato que sempre esteve presente em relação às vestimentas da sociedade é a identificação do grupo social.

Com diversas trocas culturais, a moda se desenvolveu de diversas formas e períodos diferentes, muitas vezes por conta de uma necessidade, tal como o sapato. Em meados do século XIII, os calçados se destacaram na história da moda. As mulheres, por exemplo, davam preferência aos sapatos que realçavam a delicadeza de seus pés.

Já a diferenciação entre roupas femininas e masculinas na história da moda teve início em meados do século XIV. Os vestidos, por exemplo, passaram a ser utilizados apenas por mulheres, acadêmicos e membros da Igreja. Já a calça apertada se restringia apenas aos homens.

O sapato, assim como outras peças de roupas foi apenas mais um elemento que serviu de base para o surgimento da moda. Assim, na história da moda juntaram o útil ao agradável. Ou seja, juntaram a necessidade de usar as vestimentas por conta dos fatores já mencionados com os interesses de classes.

Surgimento da moda

A moda não tem uma origem exata. Mas, ganhou grande destaque ao decorrer dos séculos XV e XVI, embora tenha assumido somente mais tarde as características da moda moderna.

As Cortes espanholas e francesas tiveram grande importância para a história da moda, pois desenvolveram Cortes mais efervescentes e influentes na definição da moda no século XVII. A rica Corte espanhola se tornou símbolo da elegância, optando freqüentemente pelo uso do negro.

Já a França do século XVII, a partir do reino de Luís XIV, criou uma moda tipicamente francesa, um sistema de Corte como ambiente de criação e consumo da moda. Ou seja, naquela época, estar perto do Rei e dominar o código das etiquetas significavam ter a possibilidade de ascender aos favores e aos poderes.

História da moda

Foi nesse período que começou a ter maior padronização em termos de vestimentas, padronização esta que servia para realçar os corpos e reafirmar sua classe social.

Portanto, a confecção de roupas na época não era democrática, sendo destinada para a nobreza, como já mencionado. No entanto, a partir da revolução industrial os preços dos tecidos diminuíram, dando mais oportunidade para as pessoas de baixa renda para conseguirem uma vestimenta “descente”.

Entretanto, mesmo após a facilidade das confecções, as mulheres ainda eram privadas da modernidade, as que tinham maior poder aquisitivo usavam roupas feitas sob medida, diferente da classe baixa. A partir disso, surgiu a alta costura que produzia diferentes estilos por meio de estilistas que criaram tendências para as mulheres de elite.

A Alta costura

As roupas do segmento de Alta Costura ou de Prêt-à-Porter de luxo, têm como intuito vestir de forma apropriada em determinadas ocasiões, promovendo a mulher, passando uma imagem elegante ou sensual demonstrando sua classe e bom gosto, como também o conhecimento de que ela está na moda.

O vestuário da Alta Costura é uma espécie de classificador de indivíduos capaz de mostrar sua classe social, por isso tem grande relevância na história da moda, principalmente feminina.

Como já mencionado, as Cortes tiveram grande importância na história da moda, por isso não é coincidência que Alta Costura começou a existir em países onde houve nobreza de tradição e vida de Corte que costumava definir os termos de refinamento, de maneiras e de exclusividade social.

Assim, o conceito de Alta Costura surgiu em meados do século XIX em Paris, na França, por iniciativa do inglês Charles Frederick Worth. O estilista inglês também é lembrado por ter substituído a crinolina pela anquinha, um tipo de armação utilizada para dar volume aos quadris da mulher.

O interesse das mulheres por suas cinturas foi essencial para o surgimento do corpete, o antecessor do nosso conhecido espartilho – que posteriormente, no início do século XX ,foi eliminado do vestuário feminino por Paul Poiret.

O estilo de corpo ampulheta com volume nos quadris e ombros e cintura fina dominou a época. Atualmente, podemos ver que a grande influência da silhueta dos modelos de Worth para a história da moda, uma vez que muitas mulheres almejam ter o “corpo violão”.

História da moda e a Primeira Guerra Mundial

Na moda aconteceram várias mudanças ao longo dos anos, principalmente durante e depois da Primeira Guerra Mundial, que influenciou muito na maneira de se vestir. Com a eclosão da guerra, as mulheres começaram a trabalhar – tarefa que antes pertencia somente ao homem. Tanto as mulheres de classe baixa quanto as de classe média e alta trabalhavam em diversos setores.

Com isso, o trabalho exigia roupas mais práticas e confortáveis, foi então que surgiram para as mulheres alguns uniformes e calças. Assim, uma visão militarista invadiu os figurinos de moda, como jaquetas com estilo militar, cintos e palas.

Outra transformação no vestuário feminino foi o encurtamento das saias. A falta de tecidos para a confecção de roupas exigiu que as saias fossem encurtadas até a altura dos tornozelos.

A importância de Coco Chanel para a História da moda

História da moda

Coco Chanel ficou conhecida por começar a confeccionar chapéus de feltro básicos, o que chamou bastante atenção, já que naquela época as mulheres usavam chapéus luxuosos, com plumas e muitos enfeites.

Mais tarde, com tamanho sucesso de sua confecção, Chanel começou a confeccionar roupas destemidas para a época. Assim, revolucionou o guarda roupa feminino, criando calças largas inspiradas nos marinheiros, vestidos mais curtos e outras peças que ficaram marcadas por conta do conforto e simplicidade.

Além disso, Coco Chanel é a responsável pelos cortes de cabelos curtos e retos, o famoso “corte chanel”, o que revolucionou a história da moda, deixando de lado o estereótipo da mulher que precisava ter um cabelo longo para ser elegante, para dar espaço a mulher que se libertava do padrão, uma vez que o cabelo curto era visto como um corte masculino.

Uma de suas maiores heranças é o “black dress”, um vestido todo preto que antigamente era apenas visto como símbolo de luto. Hoje, o “black dress” se transformou no clássico “pretinho básico” que não pode faltar no guarda roupa feminino.

Coco Chanel, Christian Dior, Paul Poiret, Charles Worth e diversos outros nomes foram muito importantes para a história da moda e a evolução. Essa evolução foi (e continua sendo) a base dos diversos estilos, estilos estes que influenciam nossas vidas e comportamento. Vale ressaltar ainda uma reflexão da grandiosa Coco Chanel: “A moda passa. O estilo permanece.”

Faça um comentário

i
Welcome to Estelle, an essential and a must-have for everyone in the fashion industry.

Instagram